segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

universos e teorias



universos e teorias

 

o verso
sorve a palavra que deslavra a larva
serva de si mesma

- a palavra no varal - seca ao sol
dissolvido convertido em alaridos

o poema teoriza o sentido que a argila
erotiza
sem ser absorvido

a estátua sobre a mesa - está tua
face livre de palavras e versos
de vidro

a estátua é tua e não minha
caminha na direção inversa da palavra do verso
do poema

teorema que rema sem teor num rio
de corrente de lava
extrema

trema : marte
mater : traem as palavras

as terras rubras secas
onde astronauta algum pisou ?

morte : o amor
sem norte o (a)mor cego
o poema vira pó na caverna

astro : ostra
rato : rota
rastro de um ator

[ a pérola da palavra ostra ]

rola da mão para dentro
o limão até a virilha que se abre - ostra -
e com a línguaviva - o reverso -

estremece a cítrica ostra - a palavra hipócrítica -
quando se abre a concha
e morre

a estátua não comove

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário