sexta-feira, 23 de julho de 2010

grávido de cólera


grávido de cólera



pássaro
solto pássaro
no céu amplo
ancorado aturde órbitas
grávido de cólera

rasga céus
sob o sólido sol sólido
no inconcluso tédio
da tarde escassa

crocitar é o revérbero
do corvo recurvando-se
sobre a carcaça corvejando
o silêncio cotidiano

o pássaro agora
corruptor de vísceras
pulsa-pensa um odor
de covas movediças

encarcerando a alma encarcerada

Nenhum comentário:

Postar um comentário